Atenção
  • JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 42

Uma cerimônia no Salão Branco do Palácio do Buriti foi palco, na quarta-feira (15/4), do lançamento da Campanha de Arrecadação de Livros para o Projeto Leitura – a Arte do Saber. A Campanha vai até 15 de maio e está sendo desenvolvida pela Secretaria da Criança, em parceria com a Vara da Infância e da Juventude do Distrito Federal (VIJ-DF), por meio da Rede Solidária e a Rede Gasol, que já doou mil livros.

Ao abrir a cerimônia, a secretária de Políticas para Crianças, Adolescentes e Juventude, Jane Klebia Reis, disse que a Secretaria pretende, com as doações, montar um acervo suficiente para abastecer as bibliotecas das seis unidades de internação do Distrito Federal. O objetivo é fortalecer o Projeto Leitura – a Arte do Saber, idealizado pelo servidor Abdala Antun e desenvolvido na Unidade de Internação de Santa Maria (UISM).

O evento foi prestigiado pela diretora Administrativa da VIJ-DF, Simone Resende, que representou o juiz, Renato Scussel, e pelo supervisor da Rede Solidária Anjos do Amanhã, projeto social da vara, Gelson Leite. Estiveram presentes também secretários de Estado, administradores, políticos, servidores e a primeira dama do DF, Márcia Rollemberg.

A secretária de Políticas para Crianças destacou a simbologia do evento, que inaugura uma série de projetos desenvolvidos por servidores. “Identificamos 64 bons projetos nas unidades e vamos aprimorá-los para implantá-los nas unidades de internação. Eles farão parte da política pública desenvolvida pela Secretaria para beneficiar os jovens das unidades” disse.

Na sequência, dois internos da UISM (um rapaz e uma moça) leram poesias escritas por colegas e por eles próprios, contando as transformações que a leitura fez em suas vidas. “O conhecimento é o alimento que liberta o corpo”, dizia um dos textos. Outro verso abordava os sonhos para o futuro. “Leio, estudo e trabalho para que no futuro não seja um bastardo”. Após as leituras, um garoto emocionado falou espontaneamente sobre as descobertas que a leitura lhe proporcionou: “Por meio da leitura, percebi que há reintegração social. Lendo, desenvolvi habilidades que nem eu sabia que tinha. Passei a gostar de desenhar, escrever e pintar. Aquelas grades que me aprisionam me libertam quando leio.”

Teia solidária - O supervisor da Rede Solidária Anjos do Amanhã, Gelson Leite, destacou a importância da mobilização da sociedade em torno do projeto. “Os esforços valerão a pena. Quem se dispõe a doar livros, estará ajudando a transformar a realidade, como parte de uma grande teia solidária. Sei que a leitura por si só não é uma realidade redentora, mas ajuda a compreender a nós mesmos, amplia o conhecimento e permite que as mudanças aconteçam”, disse. A diretora Administrativa da VIJ-DF, Simone Resende, observou que a campanha contribuirá para melhorar o vocabulário e autoestima dos jovens.

A primeira dama, Márcia Rollemberg, assegurou estar junto na batalha para transformar e construir uma política para os jovens. “Eles são o nosso futuro e o nosso presente. A gente quer construir uma política de verdade no dia a dia. Melhor que a escola do crime é a escola da vida”, ressaltou. O evento foi encerrado com a apresentação de músicas clássicas, interpretadas por cinco violinistas e um violoncelista da Unidade de Internação de São Sebastião, integrantes da Orquestra Plena Harmonia, criada pelo servidor Mafá Nogueira.

Carrinho de livros - A Unidade de Internação de Santa Maria (UISM) possui um acervo com 1,5 mil obras classificadas conforme a complexidade e o gênero. A maior parte fica na biblioteca e a outra é organizada dentro de um carrinho. Abdallah percorre os corredores dos módulos da Unidade com a biblioteca móvel, recolhendo e entregando livros.

A partir da leitura, os jovens elaboram textos que, depois de corrigidos, valem bonificações, e podem integrar os relatórios que são entregues à juíza na hora de reavaliar o cumprimento da medida. Aproximadamente, 90% dos 150 adolescentes internos da UISM passaram a se interessar pela leitura e a ler cerca de dois livros por semana, oito por mês.

Fonte: TJDFT

A ministra da Secretaria de Direitos Humanos, Maria do Rosário, participa neste momento de audiência pública interativa no Senado para debater a Convenção de Haia de 1980, que trata do sequestro internacional de crianças. A audiência é promovida pelas Comissões de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) e de Relações Exteriores e Defesa Nacional (CRE).
Ratificada pelo Brasil, a Convenção de Haia assinada em 1980 trata dos aspectos civis da subtração internacional de menores. O objetivo é combater o sequestro de crianças por um dos pais, por meio da cooperação entre autoridades.
A reunião é presidida pela senadora Ana Rita (PT-ES) e está sendo realizada na sala 2 da Ala Senador Nilo Coelho.

Agência Senado

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) manteve a decisão que negou o pedido de prisão domiciliar a um advogado que violentou sexualmente três crianças em sua própria casa. O advogado foi condenado em duas ações penais a 24 anos e seis meses de prisão por estupro e atentado violento ao pudor de vulneráveis, e a sete anos e seis meses, pela divulgação de material pornográfico infantil. O causídico foi colocado em cela individual, na penitenciária de Tremembé, em São Paulo, por falta de sala de Estado Maior, destinada a acomodação de advogados, como previsto no Estatuto da Advocacia. A defesa do condenado impetrou um pedido de habeas corpus para que o advogado pudesse cumprir a pena em prisão domiciliar. Em primeira instância, apesar do direito a sala ter sido reconhecido, a Justiça negou o pedido diante da inexistência da Sala Estado Maior, e que a prisão não seria cumprida em domicílio, já que os crimes foram cometidos na residência, mas que ele seria separado dos demais presos. O pedido também foi negado pelo Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3). A ministra do STJ, Regina Helena Costa, relatora, manteve a negativa de prisão domiciliar, por considerar que a “eventual prisão domiciliar acarretaria risco concreto de reiteração delitiva, facilitando o aliciamento de novas vítimas”.


http://www.bahianoticias.com.br/justica/noticia/47844-stj-nega-pedido-de-prisao-domiciliar-a-advogado-condenado-por-abuso-sexual-infantil.html

InícioAnt12PróximoFim
Página 1 de 2

  1. Mais lidas
  2. Mais recentes