Atenção
  • JUser: :_load: Não foi possível carregar usuário com ID: 42

Nesta terça-feira, dia 13, quinto dia da Semana Nacional da Conciliação, cinco bancos participaram e obtiveram, na média, 78% de acordos. Ao todo, foram levados para a conciliação 375 processos. O banco IBI foi o que se mostrou mais propenso àconciliação, tendo feito acordosem todos os 31 processos dos quais era réu.

Além do IBI, participaram também o Banco do Brasil, que obteve acordo em 87,5% dos 20 processos; o Santander, que conciliou em 86% das 109 ações; o Bradesco, com 82,5% de acordos em 57 processos;e o banco Itaú, que obteve acordo em 65% dos 158 processos.

Hoje, dia 14, o Tribunal de Justiça encerra a Semana Nacional da Conciliação com a divulgação dos resultados alcançados e a entrega dos quatro troféus e diplomas "Eu concilio" às empresas que mais conciliaram em todos os graus de jurisdição. A solenidade acontecerá às 16h, no Salão Nobre da Presidência do TJRJ, localizado no 10º andar do Fórum Central, na Avenida Erasmo Braga, 115, Centro.

Fonte: TJ RJ

Sexta, 25 Maio 2012 00:00

Mutirão nos JECs alcança 98,6% de acordos

Escrito por

O Tribunal de Justiça do Rio realizou nesta sexta-feira, dia 25, mais um mutirão nos Juizados Especiais Cíveis da Capital. Desta vez, as empresas cinco empresas participantes realizaram 207 audiências de conciliação, onde foi alcançado um percentual médio geral de 98,6% de acordos. A Claro, a Compra Fácil/Hermes e a Unimed-Rio fizeram 100% de acordos, a Embratel, 98%, e a Cedae, 95%.

De acordo com o juiz Flávio Citro Vieira de Mello, coordenador do Centro de Conciliação e titular do 2º Juizado Especial Cível da Capital, esta é a primeira vez que um único escritório de advocacia representa todas as empresas participantes do mutirão.

“O modelo de mutirão concentrando clientes de um só escritório, como o Dannemann fez, facilita a organização das próprias empresas; do juizado, pois o escritório se dá por intimado para as audiências; e empreende à conciliação um mesmo ritmo e padrão de tratamento aos jurisdicionados. Ele se mostra um modelo de êxito com um maior percentual de acordos alcançados com empresas de segmentos diversos”, disse o magistrado.

As advogadas Patrícia Shima e Catarina Costa, do Dannemann Siemsen Advogados, destacaram que tal modelo de mutirão facilita muito o trabalho dos advogados das empresas demandadas e oferece uma maior satisfação àqueles que reclamam.

“A principal vantagem é a organização, pois auxilia o Judiciário com a solução mais rápida dos conflitos, respeitando os horários das audiências. A satisfação de quem reclama é muito maior e todos resolvem seus problemas. Estamos todos os envolvidos de parabéns”, ressaltou Patrícia Shima.

Segundo o gerente de Contencioso da Unimed-Rio, Vicente Menezes, “o excelente índice de sucesso nas conciliações mostra que a empresa está comprometida com o Movimento pela Conciliação e com o melhor atendimento para seus clientes”.

Um dos que teve seu conflito solucionado foi Marcelo Ferreira Rodrigues. Acompanhado de sua advogada Leila Malafaia, ele conseguiu um acordo com a Cedae em processo que reclamava da cobrança de tarifa sem prestação do serviço de tratamento de esgoto. “Nos mutirões, é possível resolver rápido o problema que demoraria anos para ser resolvido”, disse ele, acrescentando que a Cedae fará a devolução do valor pago nos últimos cinco anos e vai retirar a cobrança da tarifa.

Os mutirões no Fórum Central da Capital acontecem às sextas-feiras, das 10h às 18h, no Centro Permanente de Conciliação dos Juizados Especiais Cíveis, localizado no 1º andar, sala 103, corredor D, da Avenida Erasmo Braga, 115, no Centro. O próximo mutirão será no dia 1º de junho, quando participarão o Santander, Ricardo Eletro e Sky.

Fonte: TJ RJ

  1. Mais lidas
  2. Mais recentes